Matriz SWOT da sua família

Vamos aplicar princípios de administração de empresas dentro de casa? Que tal? Afinal de contas nossa casa é uma empresa, ela tem ativos e passivos, e no final do ano, precisa gerar lucro! Já pensou nisso? Mas na nossa casa, na nossa família, o lucro não é necessariamente financeiro, é de valor muito superior, que dinheiro nenhum no mundo compra! O lucro da nossa empresa doméstica é o sucesso da nossa família! Todas temos o intuito de produzir filhos lindos, equilibrados, saudáveis e felizes! Eles são nosso maior ativo, nosso maior investimento! É ou não é? E o bem estar deles é nosso “lucro”!

female-1280961_1920

1Então simbora pra administração! A matriz SWOT é um acrônimo de Strenghts (forças), Weakness (fraquezas), Opportunities (oportunidades) e Threats (ameaças). No Brasil ela é conhecida também como FOFA (forças, oportunidades, fraquezas e ameaças) – coisa mais meiga!

A matriz serve pra te ajudar a repensar as práticas que você tem feito na empresa, ou dentro de casa! Você pode refazer a matriz sempre que quiser uns ares de mudança!

Ela classifica as influências que nossa empresa familiar recebe, tanto do ambiente interno quanto do ambiente externo. Eu vejo que  o ambiente interno seria nossa família imediata, e o ambiente externo seriam os “agregados”, ou a sociedade como um todo.

3

As forças são aquelas coisas que nos ajudam, que temos de melhor, que nos fortalecem! os pontos principais da sua empresa doméstica! E então, pensando no que a nossa família poderia nos ajudar, fiz minha lista de STRENGTHS, FORÇAS:

S:

  • experiência de outra mãe. Sempre é bom ter uma referência externa, algum outro jeito de fazer as coisas que nos ajuda a sair de nós mesmos e ver as coisas sob outra perspectiva.
  • rede de apoio no pós-parto. Não tem jeito, nas primeiras semanas após o nascimento do bebê, você precisa de ajuda! Com a casa, com o bebê, com a amamentação, com o banho (do bebê e seu!), no mínimo você precisa de alguém que faça o operacional pra você, ou você vai parida pra fila do banco?
  • colo. Pra você, no desespero, e pro bebê, pra você poder comer tranquila!
  • vale-night da vovó. Essa é sem sombra de dúvidas a melhor de todas as forças que a família pode oferecer! Você faz de conta que é gente de novo, apenas por uma noite! E as crianças se divertem na terra onde não há regras da casa da vovó!

 

Já as fraquezas (Weaknesses), ou seja, as coisas que atrapalham a vida da nossa empresa familiar, vindo do ambiente interno, são:

W:

  • experiência de outra mãe. Do mesmo jeito que ajuda, atrapalha se vira cobrança, se o “outro jeito” vira o “único jeito certo”, aí temos um problema!
  • falta de respeito. Sorrateiro vício que vira e mexe pode entrar pela porta dos fundos da casa! Ainda mais quando temos criança! Pode vir dos filhos pros pais, mas também entre o casal, ou entre os pais e os avós. Quando há essa falta de valorização e respeito entre os adultos, as crianças crescem num ambiente de dúvida, pois para eles, todos os membros de sua família são referência. Opiniões diferentes podem e devem existir, mas falta de respeito, não.
  • distância da casa da sogra. Há um ditado que diz que sua sogra não deve morar tão perto que possa te visitar de camisola, nem tão longe que precise ir de mala! Esse é um fator crucial para a valorização do seu imóvel!

 

As oportunidades (Opportunities) que temos, coisas que o ambiente externo pode nos proporcionar e que agregam valor na nossa empresa doméstica, na minha opinião, seriam:

O:

  • parquinhos, museus, escolas Montessori e Waldorf, entre outros conhecimentos da humanidade que você precisaria ter 7 vidas pra adquirir e repassar pros seus filhos
  • parques temáticos em viagens, como o beach park em Fortaleza ou o kidzania em Dubai
  • comidas diferentes e deliciosas, que você nunca na vida faria em casa, como sushi ou carré de cordeiro com cuscus marroquino

 

E por fim, quanto aos fatores externos que dificultam a atuação da nossa empresa familiar, que seriam as ameaças (Threats), temos dois que imediatamente vêem à cabeça:

T:

  • palpites. Seja da desconhecida senhora na fila do supermercado ou da tia conhecidamente inconveniente, parece que quando se tem um filho todo mundo sabe o melhor jeito de criar ele, todos menos você!
  • germes. Sim, eu sofri germofobia no meu primeiro pós parto (#quemNunca). Mas mesmo sem escaldar todos os objetos da sua casa pelo menos uma vez por semana, você há de convir que existem germes, bactérias e vírus por aí que podem sim fazer mal aos nossos pimpolhos.

Após fazer essa análise que foi muito divertida by the way vi que tanto o ambiente interno como o externo podem nos ajudar ou nos atrapalhar, e cabe a nós conseguir minimizar as ameaças! Como? Colocando algodão no ouvido quando recebemos visita de palpiteiro ao recém nascido por exemplo, manter as vacinas do bebê em dia e ensinar o quanto antes à lavar as mãos antes das refeições.

E também é nosso trabalho, como donos da empresa, utilizar ao máximo as nossas forças e as oportunidades, usufruindo todo o potencial que temos à nossa disposição para que esta empresa familiar dê lucro, e para que nossos filhotes cresçam fortes, saudáveis, e felizes, claro!

O segredo é conseguir aproveitar bem as oportunidades e não se deixar levar pelo medo das ameaças! por exemplo, não vamos deixar de ir ao museu com os meninos por medo dos germes centenários que podem habitar ali! Ou deixar de visitar os parentes que fornecem aconchego e amor aos pimpolhos mas que sempre tem um palpite ou outro quanto ao seu estilo de criação! O segredo é o equilíbrio!

family-1466261_1920

E você? Concorda com os pontos que eu levantei na minha matriz SWOT? O que você acrescentaria ou colocaria diferente? Fala aí nos comentários! Vou adorar saber sua opinião!

Sucesso pra sua empresa!

  • muito bomseu artigo

  • Bacana.

  • Sammy

    Adorei a matriz SWOT.
    PARABÉNS pela criatividade!