Pais Inspiradores: Leandro Crespo Ziotto

Gente, vocês devem conhecer o site 4daddy, top no assunto paternidade! Hoje vamos conhecer mais a fundo o Leandro, o pai inspirador por trás desse site!

Leandro Crespo Ziotto tem 32 anos e é pai do Vinícius de Morais de 9 anos, é fundador do 4daddy, uma plataforma de formação paterna, cujo objetivo é reposicionar a figura paterna nessa nova dinâmica familiar, e sensibilizar Estado e sociedade civil do quanto é importante a presença da figura paterna (seja lá quem for que exerça essa figura) na criação de nossas crianças e adolescentes.

Leandro, solta o verbo!

Sou pai afetivo do Vini. Nos conhecemos quando ele tinha 3 anos. Ele era fruto do primeiro relacionamento da minha ex esposa. Desde quando comecei a sair com a sua mãe, sempre me relacionei com ele. E a nossa sintonia foi de forma muito natural. Tanto ele quanto eu não estávamos amadurecidos sobre a ideia da nossa relação.

Foi ali que virei pai, e descobri que um novo olhar, pensar e até uma nova masculinidade, nascia ali junto com a minha relação com o Vini.

Mesmo hoje, separado da Mariana desde o ano passado, tenho uma relação diária com o Vini. Busco ele na escola diariamente, ele dorme comigo uma a duas vezes por semana. E nunca anulamos a presença do pai biológico, que é um pai presente também. Eu e a minha ex temos uma relação muito boa de carinho e respeito pela história que tivemos juntos e por ele também. Ainda sou muito julgado como esse “pai”, seja pro bem ou pro mal. Mas não me importo. Sei o que quero, e eu e o Vini temos uma relação muito nossa!!!

A maior dificuldade que enfrento na paternidade é o amadurecimento da ideia, a descoberta, e os julgamentos alheios. Mas é uma dificuldade que faz parte, e nunca me impediu de nada não.

O Ser pai influencia o modo que vejo o mundo, uma coisa que talvez seja mais natural para vocês, mulheres. Vocês são criadas para serem mais doadoras, mais empáticas, mais humanas e sensíveis, e isso é demais! Coisas que são castradas para nós homens. Lógico que o limite é muito tênue entre as qualidades que citei agora e a submissão que o machismo impõe. Me tornar pai me permitiu viver e sentir essas coisas que seriam mais “femininas”. E as exerço com muito prazer e sem medo algum referente a minha sexualidade. E acredito em negócios sociais, sustentáveis e saudáveis.

Então hoje, ser pai e ser empreendedor, são as duas formas que tenho para ajudar a fazer um mundo melhor.

O machismo permite o homem arriscar mais e a mulher menos, mas isso não faz ser mais fácil para nós, pois a cobrança é maior também. O Machismo não é bom pra ninguém, nem homem e nem mulheres. E o julgamento alheio é péssimo. Existe o empreendedorismo por oportunidade, que é você decidir de forma consciente empreender, e pro homem é sempre mais incentivado isso do que pras mulheres, infelizmente. E o outro empreendedorismo é o por necessidade, que acredito que é mais comum nas mulheres mães, que é verem como a única opção de se sentirem mais produtivas, já que o mundo dos negócios ainda é muito machista.

Meu objetivo no 4daddy é empoderar pais de todos os tipos com cursos, bate papos, palestras, informações em geral para auxiliá-los na sua paternidade, baseada numa criação afetiva, social e cidadã. Hoje em dia também estou envolvido em negócios e projetos sociais. Além do 4daddy, sou sócio da Ótica Poti, uma ótica com mais de 23 anos no mercado, e que também se preocupa com a sua função social, que quer ajudar as pessoas a enxergarem um mundo melhor, e conscientizá-las da importância da saúde dos olhos.

Quanto ao apoio da companheira, sim, sempre tive o apoio da Mari, e até hoje tenho. Na verdade, ela foi a maior incentivadora.

O 4daddy nasceu de uma necessidade pessoal. Quando fomos morar juntos o Vini tinha dificuldade de dormir. Uma noite digitei no google: Como colocar uma criança de 3 anos para dormir?…rsrs…E só vi sites e matérias para mães. Me senti incomodado, e aí comecei a fazer as coisas por mim e pelo Vini. E assim ajudar outros pais como eu.

Brinco que quando eu parar de ser elogiado, e parar de ganhar o troféu de homem/pai do ano, o 4daddy atingiu o seu objetivo…..rsrs

Como qualquer negócio a maior dificuldade que enfrento no empreendedorismo é monetizar. O 4daddy é um negócio que atrai bons olhos, parabenização, títulos e etc. Mas na hora que envolve dinheiro e negócios, o mundo ainda é tradicional, capitalista e individualista. Mas sinto que essa nova economia colaborativa, e negócios em rede, vieram para mudar esse conceito, e vejo tudo com muito entusiasmo.

Meu pai foi comerciante a vida inteira, então sempre tive essa influência de ter o seu próprio negócio. Então juntando essa influência mais o meu desejo de impactar mais o mundo do meu jeito, vi que empreender era a melhor forma.

Desde que me tornei pai, meu grande aprendizado foi que você não tem controle de nada. E que devemos realmente estar presentes, não só na vida de nossos filhos, mas no nosso trabalho, nos amigos, e na nossa vida hoje.

Acho que falta no mercado hoje em dia para homens em geral, e para pais especificamente, mais conscientização de fato, quebra de paradigmas, preconceitos e etc. Mas estamos bem. Está vindo uma nova geração muito boa.

Me incomoda o vislumbramento do empreendedorismo. Não é fácil, não é legal, e não é pra todos.

Não digo isso porque me acho superior e não goste. Pelo contrário, amo o que eu faço, mas tenho maturidade de não idealizá-lo da forma infantil que muitos fazem e se frustam. Eu acredito no empreender na vida, isso sim todos podem fazer. É ser empreendedor como empresário, como funcionário, como pai, como mãe, como filho, como amigo. É você entender que pode impactar a vida das pessoas de várias formas, que você tem sim um público, clientes internos e externos, fornecedores, e recursos para empreender na sua vida como ser humano. Meu dia a dia é corrido devido as minhas inúmeras atividades, mas acho que consigo conciliar as coisas. Planejando e se organizando, conseguimos fazer quase tudo. Não é fácil, mas é simples.

Hoje quero ter um estilo de vida mais saudável e sustentável. E acredito na economia colaborativa e trabalho em rede, como uma forma de fazermos negócios mais saudáveis, de monetizarmos de forma mais social, de termos mais liberdade, flexibilidade e produtividade. Com os filhos o ritmo aperta sempre. Mas aí é questão de organização e planejamento, e lógico: parceria, seja com a esposa, ou marido, amigos, familiares e etc.

 

Qual dica você daria para mães e pais que estão começando agora a empreender? Pense duas vezes antes, e se for isso que quer, então estude, planeje, se organize, e aja. Se errar errou, seja humilde, e comece de novo. Empreendedor brasileiro além de boas ideias, precisa de estômago também, para tomar decisões difíceis e lidar com as dificuldades.

 

Leandro, muito obrigada pela disponibilidade nessa entrevista! fiquei super feliz de conhecer mais a fundo o seu trabalho e suas motivações!

Se quiser falar diretamente com o Leandro, aqui estão os contatos:

– Portal: www.4daddy.com.br

– Facebook: https://www.facebook.com/4daddy.oficial/

– Grupo fechado no Facebook: https://www.facebook.com/groups/847530765317654/?fref=ts

– Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCPWPE1QJM8L9pQPzlbxtMfA

– Instagram: https://www.instagram.com/4_daddy/